Registro da candidatura de Vicentinho Alves é autorizado pelo TRE

O pleno do Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins decidiu, nesta terça-feira (16), por unanimidade, deferir a candidatura do senador Vicentinho Alves (PR) ao governo do Tocantins, na eleição suplementar. Os magistrados entenderam que os atos partidários do PR e dos demais partidos que compõem a coligação foram regulares.

Também foi autorizada a candidatura de Divino Bethânia (PROS) ao cargo de vice-governador na chapa de Vicentinho Alves.

A eleição suplementar está marcada para o dia 3 de junho. Também foi autorizada nesta terça a candidatura de Márlon Reis (Rede). Já o registro de Carlos Amastha (PSB) foi negado pelo tribunal com base nos prazos de desincompatibilização.

As candidaturas de Kátia Abreu (PDT), Marcos de Sopuza (PRTB), Mário Lúcio Avelar (PSOL) e Mauro Carlesse (PHS) ainda não foram julgadas.

Perfil

Vicentinho Alves tem 60 anos e é natural de Porto Nacional, na região central do Tocantins. Ele foi prefeito da cidade entre 1989 e 1992. Ficou alguns anos fora da política e voltou em 1999, quando se elegeu deputado estadual ficando no cargo até 2007.

Em 2008 foi eleito deputado federal e em 2011 ficou como suplente de senador. Alves assumiu a vaga que Marcelo Miranda não pode ocupar após ser barrado pela Lei da Ficha Limpa. Hoje é primeiro-secretário da mesa diretora do Senado.

Além da carreira política, Alves é piloto comercial, agropecuarista e empresário.

Com Informações G1