Educação Física Infantil em Palmas é objeto de pesquisa de doutorando da Universidade Federal do Espírito Santo

Palmas foi escolhida como objeto de pesquisa do aluno de Doutorado do curso de Pós-graduação em Educação Física da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Rodrigo Lema Martins. A escolha foi motivada pela Capital tocantinense se destacar entre as capitais brasileiras que têm o profissional de Educação Física atuando na Educação Infantil da rede municipal de ensino.

Para dar andamento na sua pesquisa, o professor Rodrigo Martins veio à Palmas e na manhã desta segunda-feira, 23, visitou o Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Pequeno Príncipe, onde falou com os professores de Educação Física sobre experiências acadêmicas e profissionais. O desenvolvimento do seu trabalho de doutorado foi através de entrevista, por  questionário, para coletar informações sobre as concepções e práticas pedagógicas aplicadas na rede municipal de ensino.

Segundo o professor, de acordo a um levantamento realizado, a cidade de Palmas é uma das 13 capitais brasileiras que tem professores de Educação Física atuando na Educação infantil. Ainda segundo o pesquisador, as experiências compartilhadas pela secretaria da Educação (Semed), via redes sociais chamaram sua atenção. “As experiências compartilhadas por vocês pelo canal oficial de comunicação do facebook- @educaçãodepalmas, me chamaram muito a atenção, então nós resolvemos priorizar a vinda aqui para conhecer essas experiências e ouvir o que os professores têm a dizer sobre suas práticas pedagógicas de educação física na educação infantil”, afirmou.

O trabalho do professor Rodrigo Martins tem como objeto de pesquisa: “Qual é o lugar da Educação Física na Educação Infantil” e segundo ele, “A ideia é ver como isso aparece nos documentos, na produção científica, como isso aparece nos currículos que formam os professores para atuar e como os professores que já atuam colocam isso na sua prática, para no final tentar reunir uma série de coisas que mostrem a qualidade do trabalho e como a educação física pode participar da educação infantil, independente se é uma questão legal, se os documentos referendam ou não”.

Na opinião do estudioso, “Palmas está mais estruturada na questão de produzir movimentos como o Circuito Cultural, como os Jogos da infância para dar mais visibilidade para privilegiar esse trabalho. Em outras capitais a prática fica mais a critério da iniciativa dos professores e aqui parece que a secretaria tem mais essa preocupação de fortalecer esse trabalho e de dar visibilidade envolvendo a comunidade”.

Experiência capixaba

Na oportunidade, a professora Maria Luiza Rafael, que é colaboradora do trabalho do professor Rodrigo e professora de um Cmei em Vitória no Espírito Santo, apresentou um pouco do trabalho desenvolvido na área de educação física nas unidades educacionais da capital capixaba. A educadora disse está encantada com o que conheceu em Palmas. “Essa troca de experiência é que enriquece nosso trabalho. Percebi a organização da Prefeitura em propor e encaminhar esses diferentes projetos que são bem legais, que a gente não conhecia e que vou levar e compartilhar lá mostrando para todos como a coisa pode dar certo”, afirmou a professora, garantindo que “Essa vivência presencial superou a expectativa do que vimos pela internet”.

Após a fala da professora Maria Luiza, a professora Karla Bianca Matias também apresentou para os pesquisadores, um pouco sobre as atividades e projetos educacionais desenvolvidos junto aos alunos da rede municipal e que envolvem a participação efetiva dos educadores físicos, a exemplo dos Jogos da Infância, Circuito Cultural Infantil, Festival de Artes das Escolas, entre outros.

Para a educadora física Elaine Coelho do Nascimento Camilo, que atua nos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis) Sementes do Amanhã e Cantinho do Saber, foi uma troca de experiência muito boa. “Foi um momento direcionado especificamente para os professores de educação física infantil. Foi maravilhosa essa troca de experiência, fico feliz em saber que o que estamos trabalhando aqui na rede serve de referência. Nosso município tem avançado, tem buscado melhorar em infraestrutura, em melhores condições de trabalho para os professores e em planejamento”.

Lorena Karlla