Brasil é um dos países com maior incidência de câncer de laringe, alerta Inca

Você já imaginou ficar um dia todo sem poder falar por problemas na voz? Seria muito difícil, pois por meio dela conseguimos comunicar nossos pensamentos e emoções. Os cuidados com esse meio de expressão são lembrados especialmente nesta segunda-feira, 16, data em que se comemora o Dia Mundial da Voz. “Cuidar da voz é uma questão fundamental para qualquer ser humano, ela precisa estar forte para aguentar as variações do dia a dia”, orienta a fonoaudióloga Renata Collicchio Federighi Costa.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), o Brasil é um dos países com maior incidência de câncer de laringe, que representa cerca de 25% dos tumores malignos que acometem a região da cabeça e pescoço e 2% de todas as doenças malignas, com grande possibilidade de cura quando diagnosticadas no início.

Para a fonoaudióloga Renata, o ideal é prestar atenção nos sinais que a voz nos dá. Para evitar problemas mais sérios, incômodos e garantir uma voz saudável.

Campanha Nacional da Voz

Anualmente, o Ministério da Saúde promove a Campanha Nacional da Voz que é desenvolvida desde 1999. Devido a sua relevância e graças à sua iniciativa brasileira, desde 2003 a campanha foi reconhecida internacionalmente e o dia 16 de abril foi oficializado o Dia Mundial da Voz. É uma ideia brasileira que ganhou o mundo.

Durante o período da campanha são desenvolvidas ações de cunho socioeducativo, com objetivo de esclarecer a população sobre a importância dos cuidados com a voz e de orientações quanto à realização de exames preventivos regulares. Em todo o País, serão desenvolvidas ações de conscientização em entidades públicas e privadas nas áreas da saúde e educação, para promoção da saúde vocal e divulgação dos cuidados com a voz.

Confira alguns cuidados

– O ideal para se ter uma boa voz é evitar abusos vocais, como por exemplo, gritar ou falar muito alto por um longo período. Caso use a voz profissionalmente, faça uma avaliação vocal com um fonoaudiólogo e siga as orientações para diminuir o desgaste vocal;

– Beba goles de água (sem gás) em situações de uso da voz, ela hidrata o organismo, inclusive as “cordas vocais”, reduzindo o esforço e aumentando o rendimento vocal;

– Tenha uma alimentação saudável e, antes de utilizar a voz continuamente, evite alimentos pesados, cafeína, leite e derivados, bebidas gasosas e chocolate. Cigarro e álcool também irritam as pregas vocais e aumentam o risco de câncer de laringe;

– Mantenha uma boa saúde, estabeleça uma rotina de sono e descanso e não tome medicações por conta própria. Os efeitos colaterais podem representar uma ameaça à voz;

– Reduza a quantidade de uso da voz durante quadros gripais, crises alérgicas e período pré-menstrual. Tente não falar por longos períodos em ambientes ruidosos;

– Procure não pigarrear, gritar e dar gargalhadas exageradamente;

– Ficar atento aos sintomas frequentes de rouquidão persistente, perda da voz, pigarro, dor ou ardência na garganta, dificuldade para engolir e para respirar, podem significar algum problema no aparelho fonador. Por essas razões, é muito importante consultar um fonoaudiólogo que é o profissional que trabalha com os distúrbios vocais, juntamente com o médico otorrinolaringologista para que possam oferecer orientações preventivas, avaliar e tratar a patologia, se existente.

SEMUS