Polícia indicia casal suspeito de torturar a própria filha de três anos em Araguaína

Na manha desta terça-feira, 12, a Polícia Civil do Tocantins, por intermédio da Delegacia da Criança e Adolescente, (DECA), de Araguaína, sob o comando dos Delegados Cinthia Miura e Amaury Marinho e efetuou a prisão de uma mulher de inicias A.S.S, a qual é suspeita de co-autoria do delito de “Tortura-Castigo” contra sua filha de apenas 03 (três) anos de idade.

De acordo com o delegado regional Bruno Boaventura, o fato delituoso foi noticiado no dia 05/03/2018 à DECA-ARGUAÍNA pelo pai da criança e, de imediato, o inquérito policial foi instaurado. Em seguida, a Delegada Cinthia Miura representou pela prisão preventiva de um homem de iniciais K.R.G, que é apontado pela Polícia Civil como co-autor e padrasto K.R.G. a ordem judicial foi deferida e cumprida, no dia 07/03/2018.

O Inquérito policial foi concluído nesta terça-feira, 13, e teve como resultado o indiciamento da mãe e do padrasto da criança, o qual já se encontra na CPPA, pelos crimes de tortura, abandono intelectual e obstrução ao Conselho Tutelar. Após os procedimentos legais, cabíveis, a suspeita foi recolhida à carceragem da Unidade Prisional Feminina de Babaçulândia, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

Por fim, os Delegados da DECA agradecem e parabenizam a eficiência e brilhantismo do trabalho desempenhado pelo Ministério Público e Judiciário Tocantinense, os quais apreciaram as prisões cautelares em menos de 24h.

A Polícia Civil do Tocantins informa que todo abuso perpetrado em desfavor de crianças e adolescentes será duramente combatido e investigado, sendo que a população pode ajudar o trabalho da PC, através de denúncias, por meio do telefone 197.

Ssp