Projeto itinerante estimula leitura entre estudantes e promove alfabetização de familiares

Com atividades e ações inusitadas, as escolas da rede estadual de ensino buscam alternativas para motivar os educandos e melhorarem a aprendizagem. Uma dessas iniciativas é o projeto Malas Viajantes, realizado pelo Colégio Estadual Abner Araújo Pacini, em Almas, que busca incentivar a leitura, envolvendo alunos e familiares.

Todas as segundas-feiras, os estudantes recebem as Malas Viajantes contendo dois livros e leva para casa. Durante a semana, o aluno lê uma das obras e escolhe, o pai, a mãe ou outro responsável para que leia o outro livro emprestado pela escola. Após a leitura, ambos escrevem resumos sobre as obras que leram e, na sexta-feira, o aluno apresenta a produção para os demais colegas.

“O objetivo é proporcionar momentos de leitura interativa dos alunos e a família, despertando o gosto pela leitura e a escrita, além de melhorar a interação entre a escola e a família. Além de reforçar o hábito de ler, nossa intenção é que os pais também encontrem um tempo para ler e que participem da vida escolar de seus filhos de forma mais efetiva”, explicou a gestora da escola, Marizete Cardoso de Souza Freitas.

A estudante Beatriz Soares Ramos está empolgada com a leitura em família. “Para que Serve a Matemática foi um dos livros que já li. Acho o projeto muito legal, porque aprendemos mais e ainda levamos livros para os nossos pais também poderem ler. Eles até podem vir à escola para contar sobre o que leu”, disse.

Selma Pereira Dias, mãe da educanda Flávia Vitória Dias Alves, também aprovou a iniciativa da unidade escolar. “Achei interessante ter esse momento também para os pais. É uma forma do incentivar e interagir com os filhos, além de melhorar a leitura, pois conhecimento nunca é demais”, avaliou.

Alfabetização de adultos

Desenvolvido pelo Apoio Pedagógico em parceria com os professores de Língua Portuguesa, o projeto abrange os alunos do ensino fundamental. A iniciativa visa ainda identificar familiares jovens ou adultos que não saibam ler para que possam ser alfabetizados.

Essas pessoas são atendidas pela equipe de apoio escolar, em parceria com o grêmio estudantil e fazem as atividades em horários especiais.

 

Seduc