Chuvas acima da média afetam escoamento da soja

Clima irregular também prejudicou a colheita, que começou mais tarde

As chuvas irregulares nas principais regiões produtores de soja do país prejudicaram a colheita da oleaginosa, que começou mais tarde na safra de 2017/18. No entanto, segundo informações da Somar Meteorologia, a maior parte dos produtores conseguiu recuperar o ritmo e a preocupação agora fica por conta do excesso de umidade, que pode afetar o escoamento do grão.

Na última semana as chuvas se concentram principalmente entre o oeste do Paraná, Mato Grosso do Sul e grande parte de São Paulo, Minas Gerais e Goiás, mas as demais regiões produtoras do país também receberam acumulados regulares, que mantiveram as condições hídricas favoráveis, com pelo menos 60% de disponibilidade de água no solo entre o norte do Rio Grande do Sul e o Norte do país.

Segundo o agrometeorologista Leandro Calve, da Somar Meteorologia, os volumes excessivos chegaram a atrapalhar momentaneamente a colheita em áreas como o oeste do Paraná e de São Paulo, além de parte dos Estados do Sudoeste do país.

De acordo com a Somar, existe a possibilidade de chuvas significativas no Centro-Norte até a próxima semana que continuam contribuindo para a manutenção do solo. Mas o meteorologista da Somar, Celso Oliveira, chama atenção para o escoamento da soja mato-grossense, que pode ser afetado pelo excesso de chuva.

(Da Consultoria)