Como usar o creme para pentear em diferentes tipos de cabelo

Se for preciso eleger um produto curinga para ter sempre por perto, pode apostar no creme para pentear. “Ele facilita na hora da escova, protege os fios do calor do secador, hidrata, ajuda a desembaraçar e, ainda, funciona como ativador de cachos”, conta o cabeleireiro Evandro Angelo, de São Paulo.

Segundo ele, o segredo para garantir todo esse benefício é respeitar as quantidades, que variam de acordo com a espessura do fio. “Quanto mais fino, menos creme será necessário.” Para não errar, vale ir testando aos poucos, começando com o equivalente a uma moeda de 50 centavos, espalhada ao longo do comprimento até as pontas (só evite o couro cabeludo). Se o aspecto ficar pesado, diminua a quantia na próxima aplicação – ou aumente, caso não note maciez e hidração.

 

Convidamos quatro mulheres com diferentes tipos de cabelo para testarem o mesmo produto, o Creme Para Pentear S.O.S, da Neutrox, e dividirem com a gente o que acharam. Veja as impressões de cada uma delas:

Gislene Pereira, 31 anos, editora de beleza de BOA FORMA

“Cremes para pentear estão presentes no meu banheiro desde a minha adolescência. Uso o produto religiosamente após lavar os fios – como um complemento ao xampu e condicionador – para ganhar mais hidratação e controlar o volume. Como estou em transição capilar, ainda descobrindo como cuidar do novo look, normalmente passo em seguida uma infinidade de finalizadores: óleo, ativador de cacho, surf spray… Uma mistura que, confesso, nem sempre dá certo! Para o teste de duas semanas, decidi usar somente o item da Neutrox, tanto nos dias da lavagem quanto no day after. Nos fios úmidos, colocava uma quantidade equivalente duas moedas de 1 real em todo o comprimento e fazia um amassadinho para dar movimento. Depois de seco, passava um pouco menos de produto, normalmente ao acordar ou antes de dormir – daí, prendia um coque de cada lado da cabeça para dar forma. Pontos positivos: cheiro gostoso e cabelo muito macio e soltinho, sem pesar, mesmo após várias aplicações. Ponto negativo: não consegui definir ondas e cachos com facilidade.”

2 Juliana Klein, 34 anos, professora

“Tenho o cabelo muito seco, crespo e grosso, então preciso caprichar muito na hidratação. Meu maior desafio, além de controlar o ressecamento, é manter a definição dos cachos, que se perde quando o tempo está úmido ou não aplico o ativador. Lavo a cada dois dias e usei o creme para pentear de várias maneiras até achar a combinação certa. Primeiro, apliquei-o depois de lavar só com xampu e condicionador e deu supercerto – os cachos ficaram bem formados e hidratados. Das vezes seguintes, testei o item combinado aos óleos de coco e de argan, que uso quando noto um aspecto muito ressecado, e também com meu ativador de cachos, só que não gostei muito do efeito, apesar de já ter feito essa mistura antes com cremes de outras marcas. Preferi do primeiro jeito, que funcionou bastante.”

3 Jade Machado, 36 anos, psiquiatra

“Quando topei testar o creme para pentear, o que mais me preocupava era o cheiro. Estou grávida e não tenho tolerado quase nada que seja muito perfumado. Também fiquei com medo de pesar muito no meu cabelo, que é fino e oleoso na raiz. Mas, logo na primeira aplicação, veio minha surpresa: o aroma não foi um problema e os fios ficaram bem soltos. Coloquei uma quantidade pequena, mais ou menos uma moeda de 50 centavos, nas mãos e espalhei bem, principalmente no comprimento e pontas, que são mais ressecadas por causa das luzes. Meu cabelo ficou hidratado e macio. Superou minhas expectativas!”

4 Juliana Lika, 35 anos, estilista

“Meu cabelo é liso, grosso, pesado e volumoso. De uns tempos para cá, tenho notado uma falta de brilho e, também, que ele não estava muito solto e maleável. Testei o produto e gostei bastante. Usei uma quantidade de mais ou menos uma moeda de 1 real e apliquei no cabelo ainda úmido, depois de lavar com xampu e condicionador [de outras marcas]. Espalhei com as mãos, deixei secar e achei que ficou bem leve. E, melhor de tudo, deu o brilho que estava faltando. Aprovado!”

 

Maria Clara Póvia