Investimento em tecnologia aumenta produção de leite em cinco vezes

Produtores inseridos no programa Balde Cheio obtém produtividade de 391 litros/dia

Os produtores de leite em Minas Gerais inseridos no programa “Balde Cheio” conseguiram elevar sua produção em cinco vezes. Dentro da iniciativa, a produtividade obtida foi de 391 litros/dia, enquanto que a média nacional fica em 72 litros/dia, aponta pesquisa realizada pela Embrapa Pecuária Sudeste.

O levantamento da Embrapa ainda demonstrou que mais de 70% das propriedades são de pequeno porte. A área das fazendas variou de 1,3 a 870 hectares, com média de 52,2 hectares. A maioria (58%) possui menos de 50 hectares e apenas 10% mais de 100 hectares.

“O Balde Cheio derruba o mito de que tecnologia custa caro e não é acessível ao pequeno produtor. Ele se baseia em um diagnóstico bem estudado e no apontamento de arranjos simples na propriedade. Muito trabalho, sem grandes investimentos. É muito mais uma mudança de comportamento dos produtores, que aceitam ousar e inovar, alcançando muito mais produtividade e renda em sua atividade”, destaca o presidente da Comissão de Leite da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Rodrigo Alvim Alvim.

Balde Cheio

O Balde Cheio capacita técnicos da extensão rural em produção intensiva de leite, boas práticas de manejo e conhecimentos de gestão financeira a produtores de leite de todo o Brasil.  Com metodologia inovadora, o programa recicla conhecimentos de pesquisadores, técnicos e produtores, transformando a fazenda em uma “sala de aula prática” a fim de promover o desenvolvimento sustentável da pecuária leiteira.

(Da Consultoria)