“Crédito é sempre um dilema”, afirma presidente da Aprosoja Tocantins

Em entrevista ao Norte Agropecuário, presidente da entidade, que recebe ministro Blairo Maggi nesta quinta-feira no Tocantins para abertura oficial da colheita, fala das expectativas do setor para a colheita de soja nesta safra.

Um dos anfitriões do ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, que abre oficialmente nesta quinta-feira, dia 15, a colheita de soja no Tocantins, o presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Tocantins (Aprosoja-TO), Maurício Buffon, falou em entrevista ao Norte Agropecuário sobre um dilema dos produtores rurais: busca por crédito e rentabilidade de seu trabalho.
 

Buffon ressalta que questão do financiamento da safra ainda é algo que traz dor de cabeça ao produtor, que trabalha no limite. “O crédito é sempre um dilema, com o produtor muito apertado, custo alto, fica um pouco difícil às vezes conseguir crédito. Então o produtor sempre tem que se virar e fazer as suas lavouras com o que consegue. É um problema que precisa ser resolvido, mas crédito você resolve com lucro. O produtor precisa ter lucro”, destaca, adiantando que o lucro para o produtor é mínimo.

Para ele, “no momento a atividade agrícola proporciona pouco lucro ou quase nada para o produtor”. “Então se movimenta muito dinheiro, mas com custo alto, acaba circulando no comércio e em vários lugares o dinheiro da agricultura, e o próprio agricultor às vezes fica muito apertado. Esse é o maior problema de crédito, sem lucro o produtor não consegue às vezes honrar todos os seus compromissos. Mas acreditamos que com uma melhora em torno de 6% no geral na área produtiva, acaba que se transformando um pouco isso aí em receita para o produtor”, declarou.

NA