10 lugares incríveis no Tocantins para incluir na lista de desejos

Você já pensou em explorar o cerrado brasileiro? Abrangendo o segundo maior bioma do país em extensão e a mais rica savana do mundo em biodiversidade, a região é riquíssima em atrativos naturais e cidades históricas. Para provar que isso não é só teoria, selecionamos 10 lugares incríveis no Tocantins para incluir na lista de desejos.

O estado, que faz fronteira com o Pará, Maranhão, Piauí, Mato Grosso, Goiás e Bahia, fica bem no meio do trecho Centro-Oeste, Norte e Nordeste do Brasil. Tal localização faz com que seu território seja formado por chapadas, planícies infinitas e serras surpreendentes. Os cenários são lindos, selvagens e têm ganhado alguma fama após a descoberta de Jalapão, um dos principais destinos turísticos locais.Outro atrativo conhecido são os rios Tocantins e Araguaia, que juntos formam a maior bacia hidrográfica situada 100% em território brasileiro.

A Comunidade Mumbuca, na estrada para São Félix, se destaca pela produção artesanal de peças em capim dourado, matéria-prima natural que virou artigo de luxo. O sucesso é tamanho que tem direito até a uma grande Festa da Colheita, realizada no município de Mateiros, a 345 km de Palmas.

Com tantas coisas para admirar e fazer, está na hora de incluir o Tocantins no seu roteiro!

Natividade

Folclórica, a cidade a 200 km de Palmas tem uma veia religiosa importante, com festejos enormes como a Romaria de Nosso Senhor do Bonfim e a Festa do Divino Espírito Santo. Seu charme fica por conta do belo conjunto arquitetônico tombado, que lembra algumas cidades mineiras, inclusive em sua origem.

A história é marcada pelo ciclo do ouro, em meados de 1734, que deixou como legado a ourivesaria primorosa e a conservação de locais como as ruínas da Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos. Praias fluviais, trilhas, piscinas naturais cristalinas e cachoeiras de médio e pequeno porte entre paredões rochosos complementam suas atrações.

Arquipélago do Tropeço

Sabia que Tocantins detém o terceiro maior arquipélago fluvial do mundo? Com mais de 366 ilhas espalhadas pelo Rio Tocantins, o arquipélago surpreende por suas águas multicolores, indo do verde ao azul e até ao prateado, dependendo da exposição a luz, que chegam às lagoas, canais e rios. Os turistas desfrutam de praias fluviais, atividades de aventura, acampamento e pesca esportiva.

Almas

O ciclo do ouro também permeou a história de Almas, que recebeu os primeiros moradores portugueses por volta de 1734. Pouco conhecida, a cidade é uma das mais antigas do estado e desenvolve seus atrativos no ecoturismo, que ficam na comunidade de Serra Negra, a 70 km do centro. De rara beleza, o Cânion Encantado exige caminhada de mais de duas horas, passando por trilhas aquáticas e por terra até chegar às quatro quedas d’água simultâneas com mais de 70 metros de altura. Ao redor se forma uma prainha e um lago tranquilo.

Outra opção é ir até a Cidade das Pedras, um conjunto geológico de formações rochosas que foram esculpidas pela ação do tempo. Os blocos de arenito se assemelham à edificações de tamanhos variados. São 15 km² de torres e mirantes espalhados pelo território lajeado.

Foto: Thiago Sá

Taguatinga

Na região sudeste do estado, Taguatinga esbanja belezas naturais, como se vê na Cachoeira do Registro, que não é permitida para banhos mas vale pelo visual. O cenário engloba ainda rios, grutas, serras majestosas e campos a perder de vista. No centro, os casarões em estilo colonial roubam a atenção dos visitantes, mas o que agita mesmo a cidade são as Cavalhadas, uma encenação épica da batalha religiosa entre mouros e cristãos, cheia de simbolismo, cores e luxo.

Aurora

O nome da cidade, a 535 km de Palmas, se justifica com um fato curioso: é a única do Tocantins onde o sol chega por último, nascendo mais tarde devido às elevações rochosas das Serras Gerais. Pequenina, carrega consigo 280 cavernas e grutas catalogadas, dunas, cachoeiras e montanhas, além do menor rio do mundo, chamado de Rio Azuis. Poderia ser também o mais hipnotizante, pois suas águas intensamente azuis turquesa e cristalinas são irresistíveis.

Ilha do Bananal

Fazendo divisa com o Pará, Mato Grosso e Goiás, a ilha não tem nada de pequena, muito pelo contrário, é a maior ilha fluvial do mundo, com 2 milhões de hectares, que abrigam ainda o Parque Nacional do Araguaia. Sua fauna e flora composta por lagos, igapós, rios e riachos formam um santuário ecológico, estabelecido em 1989, e também uma importante aldeia indígena, das etnias Javaés e Karajá. Na época das chuvas, entre setembro e março, a região alaga e forma pantanais.

Para acessá-la é  necessário autorização dos órgãos federais Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio) ou ou da Fundação Nacional do Índio (Funai). Há várias cidades turísticas para visitar: Formoso do Araguaia, Gurupi, Lagoa da Confusão e Peixe, sendo este último um dos principais devido às praias de rio, como a praia da Tartaruga.

Cantão

Para quem é apaixonado (a) pela observação de pássaros, Cantão é o lugar ideal. A área de transição entre os maiores ecossistemas brasileiros – a Amazônica e o Cerrado – abriga mais de 500 espécies de aves, que circulam entre veados, botos, jacarés e outros animais exóticos.

Entre os municípios de Araguacema, Caseara, Lagoa da Confusão e Pium, que formam a região a 256 km de Palmas, os visitantes também encontram rios, praias às margens do Rio Araguaia, florestas e trilhas aquáticas, possíveis entre os meses de abril e maio. Olhando de cima, uma de suas paisagens parece até o planeta Terra.

Taquaruçu

Pertinho de Palmas, mais precisamente a menos de 30 km de distância, Taquaruçu é uma boa opção para quem não tem tanto tempo disponível de viagem. O distrito de nome indígena abriga mais de 80 cachoeiras de águas frias, como a da Roncadeira, que tem 70 metros de altura e permite rapel. Trilhas, rios e boa infraestrutura ajudam o local a deslanchar dentro do turismo. Os mais corajosos aproveitam para se aventurar na tirolesa Voo do Pontal, uma das mais altas do país.

Ilha do Canela

As praias fluviais do Pará, como Santarém, já caíram nas graças dos brasileiros. Mas em Tocantins também há ótimos exemplos de rios que se tornam redutos “litorâneos”, como se vê na Ilha do Canela. Apenas 3 km de distância separam a charmosa ilha da margem da capital, Palmas.

A propriedade de 45 mil m² é particular mas permite visitação do público, que pode pegar um barco na marina da praia da Graciosa. Ali podem curtir o dia até o belo pôr do sol, praticando diversas atividades, como canoagem e pesca esportiva. As águas calmas do Lago da Usina de Lajeado também são propícias para banho.

Lajeado

Apesar de pequena, há muito a se ver e fazer em Lajeado, cidade com um importante legado artesanal a apenas 54 km de Palmas. O deslumbre já começa a partir da estrada, de onde se avistam o Morro do Leão e o Morro do Segredo, que parece até um vulcão inativo, além do Mirante da Serra do Lajeado, que tem uma vista maravilhosa da região. A ponte dos imigrantes nordestinos Padre Cícero José de Sousa é outro atrativo e uma parada para fotos.

Chegando ao centro do município, não deixe de conhecer o Balneário Ilha Verde, onde há uma orla rodeada de árvores e um belo lago com uma queda d’água, propício para banho. Na hora da fome, os visitantes podem contar com bons bares e restaurantes. Outro ponto imperdível é o Sítio Arqueológico da Serra, onde há marcas rupestres e um mirante a 360 metros de altura, que abraça toda a paisagem local e serve como ponto de parapentes.

Palmas

A capital não poderia ficar de fora da lista. Cidade planejada e atraente para os negócios, é muito mais do que suas largas avenidas e sua icônica ponte Fernando Henrique Cardoso. A área de proteção ambiental oferece um lindo mirante com vista para toda a extensão de Palmas, além de trilhas, voo livre e tirolesa. As praias fluviais são o que refrescam o público do calor. Com boa infraestrutura, possuem até área para camping e quadras esportivas.

Aproveite o mês de junho para curtir uma Festa Junina super animada e tradicional. Realizado há mais de 20 anos, o Arraiá da Capital movimenta mais de 20 quadrilhas e cerca de 1.500 dançarinos em quatro noites de festa, que é considerada a maior da região Norte do país.

por Brunella Nunes, Fotos via Tocantins Turismo)