Com objetivo de fomentar produção de carne e leite, Tocantins firma acordo com ABCZ para implantação do Pró-Genética

Com proposta de melhorar geneticamente os rebanhos pecuários do Tocantins, o Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro), Instituto do Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) e Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), assinou um Termo de Cooperação Técnica, o Pró-Genética, com a Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ). O extrato do termo foi publicado no Diário Oficial no último dia 03 de outubro.

O objetivo é fomentar a produção de carne e leite nas pequenas e médias propriedades rurais, através do uso de touros zebuínos, Puros de Origem (PO), com Registro Genealógico Definitivo (RGD) e exame andrológico apto à reprodução. Com idade entre 18 e 42 meses, proporcionando aos médios e pequenos produtores a possibilidade de um aumento de produtividade de seus rebanhos e consequente melhoria de renda e padrão social.
Outra proposta é para aproximar pecuaristas produtores de touros de elite e de rebanhos comerciais, de forma a garantir uma genética superior para a base produtiva.

A DEMOCRATIZAÇÃO

De acordo com a diretora de Políticas para a Pecuária da Seagro, Érika Jardim, a intenção é de proporcionar, através de feiras e leilões, a aquisição de touros registrados, de qualidade genética comprovada, para que agricultores familiares, assentados da reforma agrária e médios produtores melhorarem a genética de seus animais. “A proposta é desmistificar o pensamento de que touro registrado é muito caro e inacessível para pequenos e médios produtores, mostrando também que é possível melhorar esses rebanhos democratizando a genética animal”, explica Érika Jardim.

A diretora destacou o papel das instituições públicas acima citadas que é o de levantar as demandas de touros dentro desses rebanhos e juntar essa demanda à oferta de exemplares produzidos no Tocantins. “O Governo do Estado estará fortalecendo dois elos da cadeia produtiva para pecuaristas, na medida em que coloca touros de alta qualidade nas pequenas propriedades rurais, ao custo de R$ 7 a 8 mil, proporcionando ganhos na produtividade e também na articulação de mercados consumidores, fomentando a comercialização dos touros produzidos aqui”, argumenta.

FEIRA DE TOUROS

Para o pecuarista Fábio Klieman, da Fazenda Santo Ângelo, município de Aparecida do Rio Negro, a ação é muito importante. “Hoje atendo a apenas 3% do mercado nacional como a disponibilização de 250 touros para negócio, ao ano”, informa. “O pequeno produtor não tinha informações e nem acesso a essa genética e com o programa o alcance será maior na comercialização dos touros e retorno também para os pecuaristas que aumentarão seus ganhos com produtividade”, destaca.

O produtor informou também que no sábado, 21, acontecerá uma feira para venda de touros, onde serão disponibilizados para comercialização 120 touros. O evento acontece em parceria com ABCZ, das 8h às 17h, na Fazenda Santo Ângelo.

DEMANDA DE TOUROS

Atualmente o Estado possui 4.040.229 matrizes aptas à reprodução. “Se considerarmos 5 anos a vida útil de um touro reprodutor, seriam atendidas 808.045 ao longo dos períodos, levando em consideração a relação de um touro para 30 matrizes, teríamos uma demanda de 26.934 touros”, explica o técnico da ABCZ, Luís Fernando Salim.

Entretanto, o Tocantins tem registrado 15 mil machos, porém apenas 5 mil ganham registro definitivo. “Isso quer dizer que temos uma demanda reprimida de cerca de 20 mil touros registrados, e é essa a demanda que o Pró-Genética quer atender, colocar mais touros no mercado e aumentar a melhoria genética do rebanho tocantinense”, completa. (Da SeagroTO)