Ruraltins incentiva agricultores familiares a investirem na produção da cajuína

Com objetivo de incentivar a geração de renda e a diversificação da alimentação dos agricultores familiares, o Governo do Estado, por meio do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) vem incentivando a produção artesanal da cajuína nas comunidades rurais. Nesse sentido, oficinas sobre o beneficiamento do caju  estão sendo realizadas por extensionistas do órgão.

De acordo com o técnico do Ruraltins, Wandro Cruz, nesta terça-feira (10), os agricultores do Projeto de Assentamento Mirindiba, município de Araguaína, recebem uma capacitação sobre a produção da bebida. “O caju está presente em quase todos os quintais dos nossos produtores atendidos, podendo ser aproveitado na produção de castanhas, doces, polpa e suco”, disse o técnico, que é facilitador do curso.

Ainda de acordo com Wandro Cruz, o mesmo curso já foi ministrado para produtores de Alvorada e Wanderlândia, e a intenção é continuar no próximo ano, devido a grande procura pela capacitação.

Cajuína

É uma bebida típica do nordeste brasileiro, especificamente do Piauí, e consiste em um suco, clarificado do caju, sem álcool, com cor amarelo-âmbar resultante da caramelização dos açúcares naturais do suco.

“A produção da cajuína melhorou muito a vida dos produtores rurais piauienses e tem crescido a cada ano, com a divulgação nos vários meios de comunicação. Hoje a bebida é encontrada em todos os lugares daquele estado, sendo considerada patrimônio local. As pessoas que visitam o Piauí e o Cerará acabam disseminando essa cultura para outras regiões”, frisou o técnico.

Caju

Segundo Wandro Cruz, a cultura do caju tem grande importância para a agricultura familiar, devido a sua rusticidade, sendo resistente a pragas e doenças. Nativa do cerrado, tem boa adaptação a períodos de estiagem, capaz de armazenar água no período chuvoso e sobreviver a longos períodos secos sem deixar de produzir.

“É uma planta capaz de produzir com poucos recursos tecnológicos, podendo ser consorciado com outras culturas, além de servir de alimentos para os animais domésticos. É uma espécie que se adapta aos diversos tipos de solo do Tocantins e tem grande potencial para que a cultura cresça ainda mais em nosso Estado”, concluiu o técnico.

“É uma planta capaz de produzir com poucos recursos tecnológicos, podendo ser consorciado com outras culturas, além de servir de alimentos para os animais domésticos. É uma espécie que se adapta aos diversos tipos de solo do Tocantins e tem grande potencial para que a cultura cresça ainda mais em nosso Estado”, concluiu o técnico.