YouTube oferecerá televisão online por uma assinatura mensal

Maior fornecedor mundial de conteúdo em vídeo lança serviço que concorrerá com a TV a cabo.

O YouTube vai competir com sua TV a cabo. A plataforma de vídeo do Google anunciou nesta terça-feira um serviço por assinatura que permitirá assistir, através do aplicativo, dezenas de canais de televisão, incluindo notícias locais e nacionais e esportes dos Estados Unidos. O serviço ainda não tem data definida para começar, mas estará disponível “dentro de poucos meses” e custará 35 dólares por mês. Chama-se YouTubeTV e, se der certo, pode ser um golpe definitivo nas plataformas tradicionais de canais a cabo, que já estão sofrendo com a concorrência de serviços como Netflix, Amazon e Hulu.

O YouTube é o maior site de compartilhamento de vídeos do mundo. Segundo seus responsáveis, reproduz 1 bilhão de horas de vídeo por dia. Ninguém tem mais espectadores assistindo mais coisas ao mesmo tempo. Durante a apresentação em Los Angeles, a CEO Susan Wojcicki explicou que as produções dos canais de televisão, como trechos dos programas de variedades noturnos ou noticiários e resumos dos principais eventos esportivos, ocupam uma parcela cada vez maior desse conteúdo. Por exemplo, explicou o diretor de negócios Robert Kyncl, o número de espectadores que viram clipes do Oscar pelo Youtube em 24 horas é equiparável a toda a audiência do show ao vivo.

Diante dessa realidade, o YouTube decidiu criar uma plataforma para que as emissoras transmitam sua programação online e ao vivo. Chegaram a acordos com 40 canais de televisão dos Estados Unidos, incluindo as principais redes nacionais (ABC, CBS, FOX e NBC) e canais locais, esportivos (ESPN) e infantis (Disney). A oferta é parecida com o pacote básico de uma TV a cabo convencional, com dois opcionais: o Showtime e o FoxSoccer.

Um dos recursos mais interessantes do YouTubeTV é a função de gravador. O YouTube afirma que terá espaço ilimitado para salvar os programas na nuvem. Ou seja, voltando ao exemplo do Oscar, o usuário poderá gravá-lo sem se preocupar com o espaço. Ou programar a gravação de todos os episódios de um seriado.

Os 35 dólares da assinatura mensal cobrem até seis contas diferentes. Cada uma dessas contas pode gravar o que quiser na nuvem e ver seu próprio conteúdo na tela do celular, tablet ou televisor. O próprio celular acaba se tornando uma espécie de controle remoto, e mostra previews da programação que está sendo transmitida quando se abre o aplicativo. Também aproveita tudo o que o Google sabe de você para fazer sugestões, uma das principais falhas do Netflix, por exemplo.

O serviço será restrito aos Estados Unidos e não funcionará se o assinante viajar para o exterior. Os canais locais acessíveis no YouTubeTV mudarão conforme a região do país em que o usuário estiver. Os responsáveis pelo produto falaram dele em Los Angeles na terça-feira como se fosse o início de um projeto que esperam ver crescer nos próximos meses e anos. “Acreditamos que esse é o futuro da forma de consumir televisão”, disse Neal Mohan, diretor de produtos. No momento, a empresa não tem planos de lançá-lo internacionalmente.

 

Pablo Ximènez de Sandoval – El País