Vereadores de Araguaína montam comissão para fiscalizar obras paradas

A câmara dos vereadores de Araguaína, norte do Tocantins, criou uma comissão para analisar obras inacabadas na cidade. Uma das obras é a Unidade de Pronto Atendimento da Vila Norte, onde foram investigados mais de R$ 2 milhões em equipamentos, sem contar o valor pago na construção do prédio. Mesmo assim, há quatro anos o local nunca foi aberto. A comissão terá 90 dias para apresentar um relatório.

Uma outra obra que será fiscalizada é a avenida Asolfo Leão Borges, no setor Nova Araguaína. Mais de R$ 1,8 milhões foram investidos na pavimentação em 2014. Pelo menos é o que diz a placa da obra, só resta saber onde foi parar o asfalto. Em dias de chuva a avenida vira praticamente um rio.

Avenida que não foi asfaltada em Araguaína (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Avenida que não foi asfaltada em Araguaína
As construções inacabadas não param por aí. Uma outra placa fala sobre as quadras que deveriam ser asfaltadas, mas nunca foram. “Nós mandamos um ofício para o secretário para nos dar esclarecimentos de todas essas obras em andamento, para fiscalizarmos. A partir de recebermos resposta vamos começar a fiscalizar essas obras”, informou o vereador Wagner Enoque (PRB).

Ao todo, três vereadores fazem parte da comissão de fiscalização. Com o levantamento em mãos, vai ser feito um acompanhamento das obras para saber porque as construções não foram concluídas. O prazo para o fim do relatório pode ser prorrogado por mais 30 dias.

Em nota, Prefeitura de Araguaína informou que tanto o governo federal quanto o estadual têm atrasado os repasses de convênios das obras mostradas na reportagem.

 

 

Gilberto Silva com informações do G1/TO