O clima esquenta em terceiro dia de sessão na Câmara de Silvanópolis

Banda Municipal com vereadores e o prefeito Gernivon Pereira.

A câmara municipal de Silvanópolis recebeu a visita da banda municipal na sessão realizada na noite dessa quarta-feira (23) comandada pelo maestro Wada, que recebeu muitos elogios dos vereadores pelo trabalho que tem desempenhando com a banda.

Mais o motivo da polêmica foi o projeto que o prefeito Gernivon enviou a câmara na segunda feira (20) para apreciação dos vereadores.

O projeto trata de uma concessão de terreno a Companhia de Energia Elétrica do Estado do Tocantins (Celtins) no governo do ex prefeito Bernardo filho.

Após o Presidente Cristiano Correia (PROS) pedir posicionamento sobre o projeto o vereador Adigar da Mota(PT) em sua fala disse que a comissão tem o direito de analisar o projeto por até 45 dias e alfinetou o presidente dizendo que em sua gestão como presidente da casa segurava projetos por muito tempo, mas afirmou que não pretende fazer o mesmo e no dia seguinte iria analisar o projeto.

Em resposta Cristiano lembrou o vereador que a comissão tem que pedir tempo para analisar o projeto e não houve posicionamento da comissão.

Vereador Rogério(PMDB) se manisfestou ao presidente dizendo, “vossa excelência quer descer esse projeto de goela abaixo… o senhor encaminhou o projeto e nem assinou… peço a vossa excelência que vamos devagar…” “…esse projeto virou lei, não podemos anular uma lei sem antes estudar o caso, o problema é amanhã esta casa enfrentar um processo na justiça por votar essa matéria irresponsavelmente, não estamos aqui brincando de ser vereador…”

O presidente por sua vez pediu respeito a mesa pois sentiu-se desrespeitado e começou a discussão, vereador Rogério um pouco alterado disse “Não tive intenção nenhuma de desrespeitar a mesa, agora não venha me desacatar” enquanto o presidente pedia, “respeito à mesa vereador”.

Ao fim da sessão o presidente Cristiano pediu desculpas aos presentes e esclareceu que é normal acontecer divergências de idéias, brincou com o fato da vereadora Orlenes estar quase passando mal com o ocorrido.

 

 

Redação JC