Com chuvas, nível do Tocantins sobe quase 8 metros

Precipitações trouxeram benefícios, mas, por outro lado, geraram prejuízos em Tocantinópolis com destruição de rua, alagamentos e quedas de árvores.

A chuva que atingiu as regiões Norte e Centro-Oeste do País, nos meses de janeiro e fevereiro ajudou a melhorar a situação do Rio Tocantins. O nível do manancial subiu quase oito metros em relação a setembro do ano passado, quando registrava cinco abaixo do normal. A recuperação fica bem evidente na região da cidade de Tocantinópolis, município localizado no Bico do Papagaio. As precipitações amenizaram a estiagem, mas por outro lado geraram alguns prejuízos. Na madrugada desta segunda-feira, 20, a cidade e toda a região foi atingida por uma forte chuva torrencial que causou destruição de rua, alagamentos de casas e quedas de árvores.

Com a tempestade, o Córrego Lajinha saiu do nível normal e atingiu a recém inaugurada Rua Alcides Miranda. A força da correnteza foi tão forte que acabou arrancando ao meio parte da via. “Foi muito rápido, quando a chuva cessou um pouco, logo em seguida veio a “tromba d’água”, levando tudo que estava pela frente”, disse um morador que teve a casa alagada pela chuva. A via de acesso que interliga a Rua da Lajinha à Rua Pedro Ludovico, com extensão de 122 metros, é uma alternativa para que os moradores tenham acesso e mobilidade aos demais logradouros do setor, porém, agora, encontra-se interditada pela prefeitura.

De acordo com prefeito Paulo Gomes (PSD), a Secretaria Municipal de Obras, Transportes, Infraestrutura e Agricultura irá viabilizar um projeto para que o problema seja resolvido o mais breve possível. Por estar dentro das limitações do Lajinha, a Praça Maria Joaquina também foi atingida pelas correntezas. A água chegou a ultrapassar os muros de contensão que cercam o leito do Córrego. Com o impacto da água, plantas também foram arrancadas. Já na Vila Matilde, uma árvore caiu após não resistir aos fortes ventos provocados pela chuva forte. Na início da manhã, a prefeitura foi acionada, onde posteriormente uma equipe se deslocou até o local para realizar a poda e retirada de galhos que impediam a trafegabilidade no local.
Esperança
Apesar de algumas dificuldades, a cheia do Rio Tocantins trouxe esperança a moradores e pescadores que sofreram com a pior seca já registrada nos últimos anos. Desde janeiro, o nível do Rio Tocantins tem se mantido acima do normal, em quase dois metros. Com a seca, as pedras e bancos de areia eram cenário constante da paisagem nunca vista antes na história de Tocantinópolis. Este ano, o rio já tomou “de volta” o cenário, e a população comemora, afirma a prefeitura.

Durante a estiagem mais severa já registrada, a menor cota chegou ao nível extremo de cinco metros abaixo do normal. Mesmo estando abaixo da média, as chuvas têm intensificado principalmente nas regiões importantes para o rio, que são nas bacias. Nesta terça-feira, 21, segundo dados divulgados pelo Consórcio da Usina Hidrelétrica de Estreito, a vazão de defluência média diária praticada na UHE, chegou a 5.856 metros quadrados. Vazão que representa quase oito vezes o valor registrado no mês de setembro de 2016.

 

via CT