Feno em pé pode ser opção para o gado na seca

Reserva de pasto precisa ser feita até o início de março para garantir oferta para os animais no momento em que cessam as chuvas

Para aqueles que pensam em ter feno em pé disponível para a época da seca, esse é o melhor momento para iniciar os trabalhos. De acordo com a pesquisadora Valéria Pacheco, da Embrapa Gado de Corte, o ideal é que o produtor tenha o outono todo para acumular forragem.

Como fazer a reserva – No Sudeste e no Centro-Oeste a recomendação é fazer a reserva por meio da vedação escalonada. “Isto é, vedar 1/3 da área com que se vai produzir o feno em fevereiro e 2/3 em março”, diz. Ainda segundo ela, a área vedada em fevereiro deve ser aberta para consumo dos animais no início do período seco, em maio, e a vedada em março aberta em meados de julho.

Preparação – Mas antes de fazer a vedação é importante que a área  passe por um pastejo pesado. “A recomendação é baixar um pouco a altura, até uma média de 15 centímetros. Para não ficar muito material morto na base das touceiras e ter uma rebrota mais nova”, explica a pesquisadora. Uma adubação de 50 kg/ha de nitrogênio, 100 kg de ureia ou 250 kg de sulfato de amônio também ajuda o capim a se desenvolver.

Quantidade – Para não ter sobra de alimento ou falta, é necessário calcular ainda a porção de feno necessária para alimentar o rebanho. Na vedação escalonada um hectare produz, geralmente, até 6 toneladas de matéria seca de forragem.

“Pensando em um hectare de pasto de braquiarão, que foi vedado no final de fevereiro, começo de março, dá para calcular um acúmulo de forragem suficiente para o suporte de 3 UA/ hectare. Estamos falando, então, de alimentar três animais de 450 kg ou seis bezerros desmamados”, diz. O que não dispensa o acréscimo de um sal proteico à dieta. “Como esses pastos vedados têm valor nutritivo mais baixo, dependendo do ganho de peso que o produtor quer alcançar, pode só entrar com o suplemento de sal proteico ou terá que recorrer a outras alternativas”, diz. As opções podem ser tanto concentrado como silagem de milho ou sorgo.

Escolha do capim – Sobre os pastos que podem ser vedados para fenação, algumas recomendações estão disponíveis no material 500 perguntas 500 respostas da Embrapa Gado de Corte. De acordo com o documento, pastagens de capins de touceira, como tanzânia, mombaça, andropogon e elefante, não se prestam para a produção de feno-em-pé, por resultar em material de baixíssima qualidade. Do lado dos capins indicados para tal estão, por sua vez: o piatã, marandu, tiftons, gramas estrela e a braquiária decumbens. Mesmo assim, deve-se evitar a vedação de pastagens degradadas ou que tenham sido intensamente atacadas por pragas no verão (cigarrinhas, percevejo, lagartas etc) e também áreas expostas a rodovias, em virtude do alto risco de incêndio.

Marina Salles – DBO