Pedro Afonso assume o topo da Balança Comercial da FIETO em 2016

Balança apontou ainda queda de 18% nas importações e de 29,8% nas exportações do Tocantins em relação a 2015.

Pedro Afonso, município da região centro-norte do estado, foi o maior exportador no ano de 2016, de acordo com a análise da Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (FIETO) divulgada nesta quarta-feira, 08/02. O estudo, denominado Balança Comercial do Estado do Tocantins, analisa dados fornecidos pelo Governo Federal (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) e fica disponível no site www.fieto.com.br (link Estudos e Pesquisas).

A exportação advinda do município representou 19,4% do total do estado, seguido de Porto Nacional com 12,2% e Cariri do Tocantins com 11,8%. Vinte municípios aparecem na lista e a capital Palmas ocupa a 9ª posição neste ranking. No entanto, quando o assunto é importação a Balança traz a capital na 1º posição com 53,9% do total do estado, resultado inferior ao alcançado em 2015 de 55,8% das importações do estado.

“Mesmo com queda, em relação a 2015, a soja e a carne bovina congelada continuam sendo os principais produtos da pauta exportadora do estado. Nas importações, a gama de produtos é bastante diversificada com destaque para rendas de fibra sintética ou artificial”, explica a gerente do Centro Internacional de Negócios da FIETO, Greyce Labre.

Tanto os valores de exportação como os de importação apresentaram queda na comparação com 2015 de 29,8% e 18%, respectivamente. Com isso, o Saldo da Balança Comercial (exportação – importação) foi de US$ 515,9 milhões, resultado 32% menor que o registrado em 2015. As exportações no Tocantins representaram, em 2016, 0,3% do total exportado em todo o País e as importações, 0,1%.

Entre os destinos dos produtos exportados pelo Tocantins, China, Países Baixos (Holanda) e Espanha foram os principais parceiros comerciais. China, Estados Unidos e Rússia figuram como os principais países de origem dos produtos importados pelo Tocantins.

Ao avaliar a logística de exportação, os dados mostraram que o modal aéreo teve um crescimento de 119%, em 2016, puxado por produtos como esmeril e outros abrasivos naturais. Nos modais de importação, a via rodoviária teve um crescimento de 461% com destaque para produtos como vinhos, mostos de uva e fermentados. A via marítima continuou concentrando o maior volume de produtos importados e exportados pelo estado.

 

 

Priscila Cavalcante, Assessoria de Imprensa FIETO